sexta-feira, 3 de junho de 2011

Os Forídeos

(Figura 1 – Forídeo se aproximando da entrada da Jandaíra)

Dentre os maiores predadores das abelhas sem ferrão, após o próprio homem, encontra-se o Forídeo (Pseudohypocera). Os Forídeos são mosquinhas que se movimentam com uma velocidade incrível, pertencem à ordem dos dípteros. São um terror para a maioria dos iniciantes. Nós mesmos, já perdemos várias colônias de Jandaíras que, pereceram diante do ataque implacável destas mosquinhas.

Outro dia pesquisando na internet, descobri que a palavra Forídeo vem do grego fóridas e significa ladrão. Realmente desempenham bem essa função. Eles são atraídos pelo cheiro, principalmente, por algum pote de pólen aberto proveniente de algum manejo inadequado. Por tanto, alguns cuidados devem ser tomados no momento das inspeções, das transferências, das divisões, enfim, todo cuidado é pouco na hora de manusear as colônias.

Os Forídeos, em sua fase adulta, pouco prejudicam as abelhas, o que nós percebemos aqui no meliponário, é que eles deixam as abelhas irritadas quando a infestação é intensa, elas ficam alvoroçadas, se assanham, o trabalho, muitas vezes, é interrompido, elas ficam se amontoando no beiral do meliponário, no entanto, isto só foi verificado uma única vez.

Porém, o que mais prejudica as abelhas são suas larvas. Cada fêmea põe em média entre 50 e 60 ovos. Quando estes atingem o período larval, aí é onde reside o problema, estas larvinhas famintas podem dizimar uma colônia dentro de pouco tempo. Começam consumindo o pólen, depois o alimento larval, pupas, e aí por diante.


(Figura 2 - Colônia dizimada / ataque de Forídeos)

Por essa razão, algumas precauções devem ser levadas em consideração quando da realização do manejo, como por exemplo: construa ou adquira caixas sem muitas frestas; evite deixar por muito tempo a colônia aberta durante o manejo, principalmente se esta for nova (recém transferida ou dividida); a manipulação dos discos de cria novos (larva), potes de mel e pólen rachados ou estourados devem ser evitados; evite também o manejo em dias nublados ou com chuva; manter o meliponário livre de umidade; efetue a vedação da caixa ao término do manejo, dentre outras atitudes que, sem dúvida, irão mantê-los afastados.

Caso haja infestação é necessário a utilização das armadilhas.

Preparação das armadilhas

Nós procedemos da seguinte forma, quanto à preparação e a utilização das armadilhas: 

Reúna o material:
Uma garrafa pet 237 ml; 
Um elástico; 
Um coletor universal (usado para exames laboratoriais);
Um barbante;
Uma tesoura;
E uma suvela.

(Figura 3 - Material necessário)

 (Figura 4 - Aquecendo a suvela)
      
(Figura 5 - Realizando os furos na garrafa)

(Figura 5 - Realizando os furos no coletor)

(Figura 6 - Furo na tampa)

 (Figura 7 - Introduza o barbante)

(Figura 8 - Dê um nó na parte inferior)

(Figura 9 - E outro na parte superior)

 (Figura 10 - Corte o elástico)

(Figura 11 - Armadilhas prontas)

 (Figura 12 - Forídeos capturados)

 (Figura 13 - Coloque, preferencialmente, vinagre de maçã nas armadilhas)

(Figura 14 - Acertados com o elástico)

(Figura 15 - Instalação das armadilhas)

(Figura 16 - Forídeos capturados com a armadilha externa)

Obs.: Utilizamos o coletor internamente; as garrafinhas espalhadas pelo meliponário e o elástico para acertá-los quando estão circulando por entre as caixas. 


Um grande abraço,

São Paulo do Potengi-RN, 03 de junho de 2011.


João Paulo Evangelista de Medeiros
Meliponário Campos Verdes

12 comentários:

  1. Amigo João,

    muito boa a postagem...,eu gostei muito do elástico para matar os forídeos,nunca usei mas gostei da idéia,rsrs.

    Temos que ter muito cuidado,pois os forídeos acabam com uma colônia em poucos dias...

    Abraço.
    Paulo Romero.
    Meliponário Braz.

    ResponderExcluir
  2. Congratulações amigo Paulo Romero,

    Sim, temos que ter o maior cuidado com os Forídeos, caso contrário, estes danados podem atacar uma colônia e, por conseguinte, levando-a a morte.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante este modelo de armadilha João Paulo para forídeos , em breve estarei utilizando no meu futuro meliponário.

    abraço
    Everson
    Meliponário Baixa-verde

    ResponderExcluir
  4. Caríssimo Everson,

    Em primeiro lugar, seja muito bem vindo na atividade e sucesso.

    Estarei pronto para te ajudar no que for necessário.

    Muito obrigado, valeu pela vista e até breve.

    Um abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  5. OLÁ, EU CONHECI UM MELIPONÁRIO QUE NÃO COLOCA ARMADINHAS, POIS DIZ QUE A ARMADILHA É QUE CHAMA OS FORÍDEOS. QUANDO O O DONO DAS ABELHAS ABRE A CAIXA, SEMPRE TEM UM QUE OUTRO FORÍDEO LÁ DENTRO, MAS ELE NÃO SE PREOCUPA, NEM NUNCA PERDEU UM ENXAME SEQUER, POIS ELE TEM UM AGENTE NATURAL, UM TAL DE ÁCARO QUE, DIZ ELE, SERIA O PREDADOR NATURAL DO FORÍDEO. SEMPRE QUE ELE DIVIDE UM ENXAME, ELE SE PREOCUPA EM TRANSFERIR JUNTO OS TAIS ÁCAROS, INOFENSIVOS PARA AS ABELHAS, MAS O TERROR DOS FORÍDEOS... ALGUÉM JÁ VIU?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezados Senhores.As iscas para furideos sempre foram necessarios para nossa região,Acre,utilizamos os itens acima citado com o vinagre de maçã e sabora é um santo remedio, deconheço não ser necessário armadilhas para furideos, gostaria muito de saber quais são esses àcaros que são os terrores dos forideos, pois na região temos muita incidencia com a manipulação das colmeias.
      franca.acre@hotmail.com

      Excluir
    2. Encontrei um blogue que fala um pouco a respeito desses ácaros .... dá uma olhada.

      http://meliponariodosertao.blogspot.com/2009/06/os-acaros-em-simbiose-com-as-abelhas.html

      Excluir
    3. Olá Rosângela,

      Muito grato pela visita e pela sugestão.

      Abraço

      Excluir
  6. João, hoje capturei uma tubuna e em seguida os mosquito atacaram, mas depois de ler essa ideia maravilhosa vou fazer duas capturas "abelhas" e "forídeos"... Que beleza!!!

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de saber se a postura dos forídeos é imediata.Já perdí vários enxames de jataí com essas mosquinhas.Coloco a isca num copinho descartável dentro da colmeia,coberto com PVC,com furinhos minúsculos e capturo as larápias.

    ResponderExcluir
  8. Olá, meu caro

    Estas mosquinhas, realmente, são um terror. Mas com o tempo elas não preocupam tanto.

    À medida que vamos adquirindo experiência na lida diárias com as abelhas, eles deixam de ser uma tormenta.

    Estas mosquinhas entram na colônia e a partir do 5º ou 6º dia já iniciam a postura.

    Hoje elas não representam ameaça para nós, mas no início era a causa da dor de cabeça, pois dizimavam algumas colônias devido o manejo inadequado.

    Vá pondo em prática alguns experimentos veiculados na internet, e mais alguns dias verás o que não é tão difícil detê-las.

    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Nossa. Essa mosca é uma praga mesmo. Perdi uma comeia ao retirar de um tronco. Mesmo fazendo uma limpeza e trocando de caixa não teve jeito. Dizimaram a comeia em 4 dias.todo cuidado é pouso.

    ResponderExcluir