terça-feira, 21 de junho de 2011

Calendário de floradas 1

Segue abaixo uma representação esquemática que foi traçada a partir das nossas observações, em trabalho de campo, tendo como embasamento teórico a obra “A abelha Jandaíra” do saudoso Monsenhor Huberto Bruening.

Este quadro mostra, sinteticamente, um calendário de floradas que vai de janeiro a junho, identificando as principais espécies vegetais nativas, procuradas pelas Jandaíras na busca pelo néctar e pólen, como também o nome científico, o nome popular, o início, o término e o ano das floradas.


CALENDÁRIO DE FLORADAS
Nome Popular
Nome Científico
Início
Término
Ano
Velame
Croton campestris
Janeiro
Fevereiro
2011
Marmeleiro
Croton sonderianus
Fevereiro
Fevereiro
2011
Catingueira
Caesalpinia pyramidalis
Março
Março
2011
Jucá
Caesalpinia ferrea
Março
Março
2011
Mofumbo
Combretum leprosum
Maio
Maio
2011
Mussambê
Cleome spinosa
Janeiro

2011
Xanana
Turnera ulmifolia
Março
Junho
2011
Cabeça de velho
Cephalocerens senilis
Maio

2011
Jitirana
Ipomaeia acuminata
Maio

2011
Malva branca
Sida cordifolia
Junho

2011
Mucunã
Dioclea grandiflora
Maio
Junho
2011
Mororó
Bauhinia spp
Maio
Maio
2011
Urtiga Branca
Cnidoscolus urens
Maio

2011
Sarjadeira
Mimosa sp
Junho

2011
Mata pasto
Sena spp
Março
Junho
2011

Existe uma grande possibilidade de variação destas floradas, isso se dá em virtude da oscilação dos fatores climáticos de nossa região. Ano passado, por exemplo, em que a precipitação pluviométrica não atingiu os 300 mm, muitas plantas não franquearam suas inflorescências, guardaram suas mínimas reservas d’água para resistirem às fortes temperaturas que assolaram nosso Sertão.

O ano de 2010 para o rurícola, foi um dos anos mais secos que já presenciei, inviabilizando, desta forma, a agricultura, a pecuária, até mesmo, a apicultura e a meliponicultura. Trazendo sérios prejuízos sócio-econômicos para o homem do campo, não para este apenas, mas existe todo um comprometimento da estrutura social como: a elevação no preço dos alimentos e tantos outros que emanam da relação campo cidade.

Este ano nosso querido São José, para quem o homem do campo direciona suas preces, e conceda a graça de um ano chovedor, tem sido bastante generoso. Já choveu para mais de 1000 mm, quando a média, aqui em nossa região é em torno de 500 a 600mm.

Obs.: As floradas que não foram preenchidas são por que ainda se encontram em floração, com previsão para seu término no fim do período chuvoso que, é de julho para agosto segundo as previsões cientificas ou meteorológicas.

Abaixo as imagens das floradas por nós observadas:

(Figura 1 - Velame)

(Figura 2 - Marmeleiro)

(Figura 3 - Catingueira)

(Figura 4 - Jucá)

(Figura 5 - Mofumbo)

(Figura 6 - Mussambê)

(Figura 7 - Xanana)

(Figura 8 - Cabeça de velho)

(Figura 9 - Jitirana)

(Figura 10 - Malva branca)

(Figura 11 - Mucunã)

(Figura 12 - Mororó)

(Figura 13 - Urtiga branca)

(Figura 14 - Sarjadeira / Amorosa)

(Figura 15 - Mata pasto) 

(As fotografias do Velame e do Mofumbo foram adquiridas da internet - Meliponário do Sertão e Meliponário Monsenhor Huberto respectivamente).

Um grande abraço,

São Paulo do Potengi-RN, 21 de junho de 2011.

João Paulo Evangelista de Medeiros
Meliponário Campos Verdes  
              

5 comentários:

  1. Esse será um ano de muito mel e de prosperidade, tenho observado um crescimento considerado dos enxames nesse período e tenho certeza que recuperarei as colônias que foram perdidas para o carro Fumacê.

    Parabéns pelo blog, sempre com ótimas postagens.

    att,

    Kalhil
    Meliponário do Sertão

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo Kalhil,

    Muito obrigado pelas palavras de incentivo. Me sinto lisonjeado em receber um elogio daquele um dos mestres da meliponicultura em nosso Estado, e por que não do país.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia amigo,

    Por gentileza, onde consigo encontrar sementes ou mudas dessa planta malva-branca. (Sida carpinifolia).

    Meu e-mail é:

    fpontes14@hotmail.com

    Abraço

    Att

    ResponderExcluir
  4. Caro Fabiano

    A Malva-branca é uma planta típica do Sertão, floresce no período das chuvas, suas sementes são minúsculas. Eu particularmente nunca vi.

    Acredito que ninguém produz mudas dessa planta.

    Posso verificar qual o seu método de propagação, depois entro em contato contigo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Sim obrigado pela pronta resposta amigo, estou montando pastagem para mandaçaia e jatai, já tenho varias melíferas, como Ora pró nóbis, Mirra, Mutre, Vitex e outras, quero aumentar a pastagem.

    Abraço

    ResponderExcluir